PERFIL

Maria Manuela Galvão atua na área de Direito Penal Empresarial, visando à orientação e à defesa de pessoas físicas e jurídicas em questões penais relacionadas às atividades empresariais, ao meio ambiente e à ordem econômica, financeira e tributária, além de adotar medidas destinadas a assegurar a liberdade individual.

Formação Acadêmica

Graduada em Direito (cum laude), Universidade Católica de Pernambuco;
Mestranda em Direito Penal, Faculdade Damas da Instrução Cristã;
Especialista em Direito Penal e Processual Penal; Faculdade Damas da Instrução Cristã.

Experiência Profissional

É associada à UNACRIM - União dos Advogados Criminalistas.
Antes de se dedicar exclusivamente à área Penal do DFA, Manuela Galvão trabalhou durante dois anos assessorando o Juiz de Direito José Júnior Florentino dos Santos Mendonça no 1º Juizado Especial Criminal da Capital – PE, pelo turno da manhã e, à tarde, na 12ª Vara Cível da Capital –PE.

Prêmios e Publicações

Aluna laureada de todas as turmas da Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) em 2014.2. Recebeu o prêmio de aluna com maior média das Universidades Particulares do Nordeste no ano de 2014.2, pela Associação das Universidades Particulares do Nordeste - ANUPNE.

Autora do Artigos:

- "Os crimes tributários e o Direito Penal simbólico" publicado no Conjur (Consultor Jurídico), no dia 09 de maio de 2018, e no Migalhas - Informativo nº 4.352, no dia 09 de maio de 2018.
- " 11 anos da lei que fomenta um sistema de aparências", publicado no site MIGALHAS (www.migalhas.com.br), no Informativo de nº 4.169, em 07 de agosto de 2017.

Coautora dos Artigos (Maria Manuela Galvão e José Luiz Galvão):

- “Efeitos do parcelamento e do pagamento Integral da dívida dos crimes tributários” (Publicado no Migalhas - Informativo nº 3.656 – em 14 de julho de 2015.
- "Manutenção de capitais brasileiros no exterior - CBE" (Publicado no Migalhas - Informativo nº 3.661 – em 17 de julho de 2015).
- “’Feminicídio’: um benefício ao sujeito ativo do crime?” (Publicado no Migalhas - Informativo nº 3.661 – em 21 de julho de 2015).
- "Decisões criminais e o princípio da independência das instâncias" (Publicado no Migalhas - Informativo nº 3.713– em 02 de outubro de 2015).